A solidão das palavras sem eco
Liduina  do  Nascimento
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos PerfilPerfil
Textos

            Meus filhos
Sei que a minha estrada foi sempre florida, muitas vezes eu ceguei,
tropecei em obstáculos tão absurdos que deixei de ver a beleza que há na vida, mas bem no fundo, a minha alma sabia que ainda muitas coisas lindas pra eu aproveitar, havia.
Sei que muitas vezes eu pensei em desistir, em sumir do mundo, mas os meus três filhos ali,
puros e inocentes que não pediram para virem ao mundo,
e eram responsabilidades minha somente,
eles faziam com que eu lutasse mais!
Porque o pai tem obrigações sim, quando ele tem amor e a consciência disso, mas uma vez que ele foge e se omite, o que nos resta fazer senão cuidar com todo amor dessas pessoas lindas que nasceram de nós?
Sei, a minha luta, foi grande demais,
mais do que um dia eu pude imaginar ter que passar por aquilo tudo,
mas venci, vencemos,
porque embora tenha chegado momentos em que eu colocava as mãos
na minha cabeça, chorava calada e pedia socorro aos céus,
eu achava que não ia chegar até aqui, e cheguei...
Nunca consultei um psicólogo, não tinha dinheiro, nem tempo,
era trabalhar muito, correr muito, faculdade?
Nem pensar, porque eu passava o dia inteiro trabalhando, ficava
louca pelo final do expediente para correr para eles.
Porque chegou um tempo em
que eles saíram do olhar da minha mãe que tanto me ajudou, depois,
eles passavam a maior parte do tempo, os três, sozinhos,
enquanto eu ficava aflita em meu trabalho, pensando direto neles,
tive a felicidade de assim contar com a união dos três,
um ajudando ao outro, cresceram, os meus filhos...
E eles estudavam em escola pública, onde tudo era negligência,
meu Deus!
Hoje são três cidadãos de bem, honestos, trabalhadores,
para meu orgulho e felicidade, sei que valeu a pena sim,
e que se fosse para começar tudo de novo,
algo bem lá no fundo me diz que apesar de cansada, por eles,
eu começaria tudo outra vez, porque o amor que eu sinto por eles nasceu junto com cada um, no dia em que vieram para minha vida,
para nunca mais sair da minha alma.
Hoje eu tenho a felicidade de escrever, de sonhar e fantasiar
a minha vida da cor que eu quiser,
hoje eu percebo se o céu está cinza, azul, se chove, se é sol,
vejo cada rosinha perdida pelos caminhos, ouço o canto dos pássaros,
Percebo a alegria no fundo do olhar das pessoas ou a sua dor.
A minha percepção do mundo, é colher só as coisas boas, para que a vida seja suave e a poesia seja o motivo maior em minha alma,
e acolher bem um amor que insiste
em nascer todos os dias em mim, do despertar ao adormecer.
Porque a minha maior alegria é saber que cada um dos meus filhos,
existe e que eu sempre vou contar com o amor deles, e eles incondicionalmente com o meu amor,
isso sim, é razão de continuar à existir.
E a minha oração por eles é constante, a cada instante peço para eles livramento de todo mal, o meu desejo pra eles é só de muitas felicidades.
Meus filhos, obrigada por fazerem parte da minha passagem por este mundo.

- Liduina do Nascimento









.
Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 17/02/2017
Alterado em 17/02/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.