A poesia está em todo lugar
Liduina do Nascimento
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Textos


 
Interpretação



Às vezes a inquietude dela me acalma,
Por isso a sigo...
Minha ave alma, que,
Voava e cantava,
Cantava
sem ninguém saber porquê.
Pousava e sonhava, depois voava.
A ave inquieta cantava, cantava, 
depois pousava.
Não parecia feliz, nem infeliz.
Na interpretação a sua canção era triste,
ela nem se dava conta.
A ave desejava o abraço do seu amor,
Que não lhe amava.
Sem graça, a ave adormecia,
dos seus olhos, uma lágrima escorria.
Num dos seus sonhos,
o seu desejo tanto, de encontrá-lo, se realizou.
Ah mais foi uma felicidade!
Pobrezinha,
Para a sua tristeza,
Tudo era só um sonho, dele, despertou.

Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 01/06/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.