A poesia está em todo lugar
Liduina do Nascimento
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Textos




Quando morre um sonho




Havia um esboço de sonho
timidamente desenhado...
Afastei-me um pouco para trás,
para poder contemplá-lo melhor
para feliz sorrir sorrir, com a sua chegada!
Era um sonho que já possuía vida.
Nele,
havia paixão, cor, gosto, marcas.
Dele,
as lágrimas que desceram um dia
foram de emoções esperançosas,
É que quem ama em tudo sente ilusão.
Tem cada sonho!
Que ao chegarmos ao final
de mais uma estação,
sentimos a alma exageradamente livre!
São ilusões gostosas, que ao deitarmos,
o nosso último pensamento desejo,
é a vontade de que dormindo também
possamos como ensaio, tocá-lo,
para ser linda a noite
clareando qualquer medo
ou enfrentando suposta escuridão!
Quando morre um sonho,
Enterra-se em vida um coração.
Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 05/08/2017
Alterado em 05/08/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.