Na solidão das palavras

Liduina  do  Nascimento

Textos




                             Estrela

A última



 
As minhas estrelas eu mesmo invento
Tem noites tão escuras,
Sem uma estrela sequer no firmamento.

Vem outra noite, outras estrelas surgem,
Quando pensamos que iremos alcançá-las
Elas se apagam...
Algumas expectativas são estrelas,
desaparecem
Viver é isso, é buscar sempre a luz na escuridão.
O prazer de viver supera toda a decepção,
Eu nao perco o meu velho jeito de contá-las
Uma, duas, três, quatro.
Cinco, quatro, três
Que loucura
Onde estão as estrelas que ali pintei,
Logo eu que enjoei a lua
Lá  estou eu sonhando acordada outra vez.
Quem sabe a minha última estrela 
Não desça e se transforme
Tornando-se a mais linda poesia
Àquela jamais escrita
E num passe de mágica,
Me transforme numa pessoa cheia de alegria.
Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 08/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Site do Escritor criado por Recanto das Letras