Na solidão das palavras

Liduina  do  Nascimento

Textos





Impaciente



 
Amar a vida não significa ter que conviver
Tantas pessoas em minhas caminhadas
Povo carente, inseguro
Loucos para conversar
Dou um sorriso amarelo, passo
Sem ter tempo, nem vontade de parar

Agora uma pausa

Preciso com calma respirar
Por favor não venha em minha direção
Nada tenho à declarar.

Deixe-me sossegada

É meu gosto ficar no isolamento,
ao me ouvir, não iria compreender
Não tenho paciência
Nada eu quero escutar
Quero seguir em frente, correr 

Quero, preciso do silêncio
quebrado pelas ondas do mar,  até o escurecer
Depois retornarei ao meu cativeiro
Quem sabe amanhã o sol virá me despertar.
Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 14/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Site do Escritor criado por Recanto das Letras