Na solidão das palavras

Liduina  do  Nascimento

Textos








Hera fabricada






Por gostar muito da noite, e das madrugadas, procuro na vastidão
de seus mistérios, compreender um pouco a humanidade.
Três horas da manhã, despertei de um lindo sonho!
Fui para a janela, da sala, não quis acender a lâmpada.
Do quarto e último andar, vi ao longe, cada pontinho de luz
enfeitando a negra cidade completamente adormecida.
Dentro do profundo silêncio  percebi tanta coisa em vão,
bem como o ódio, os desejos tolos, a ambição,
as pessoas deixam  de viver.
Tudo o que precisamos é tão pouco, fiz uma oração pelo mundo.
O que iluminaria tantas vidas adormecidas, 
seria que cada alma viva, tomasse um banho de pensamentos
bons, de amor, de paz, de solidariedade, de compaixão,
por cada um dos nossos irmãos, em Cristo Jesus.
Nessa hora calma, penso naquele que morre porquê teve
o seu sonho destruído...
Naquele que sofre por conviver em meio a tanta violência,
Naquele que prolonga seu sofrer por se sentir infeliz, padece,
sem saber que para ser feliz basta querer,
Querer fugir de uma hera fabricada,
ah se eu soubesse que seria tão simples, há anos teria mudado.





- Liduina do Nascimento



















.

 
Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 06/05/2018
Alterado em 06/05/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Site do Escritor criado por Recanto das Letras