Liduina do Nascimento

....Na solidão das palavras

Textos


 




TARDE   INESQUECÍVEL


 

Vivemos uma espécie de prisão, onde temos uma liberdade incompleta, não podemos andar livremente, podemos até conversarmos se quisermos, mas, bem rapidamente, porque o trabalho pede a nossa concentração, somos uma máquina com um coração pulsando, com uma mente fervendo, e uma alma passeando por aí à fora, não podemos parar quando quisermos, somos programados, muitas vezes até nem nos sentimos sorrir, mas, é preciso. Fiquei hoje o dia inteiro querendo que o dia findasse logo, estava ansiosa demais, pelo por do sol, algo me dizia que ele seria diferente e mais que especial, mesmo que num instante roubado, eu iria ver ele se ir mais uma vez, como faço todos os dias da semana em dias úteis. Tentei fugir, consegui... Silenciei, me afastei de qualquer coisa ou pessoa que pudesse tirar de mim, àquele momento... Saí mais cedo, estava aperreada demais, para apenas imaginar a tarde acontecendo lá fora, sem que eu pudesse contemplá-la, juro que quase corri para dar tempo ver o sol se pôr, e valeu toda pressa, porque ele é um rei, não espera, quando ele resolve ir dormir, ele vai, não sei e não posso definir o que senti, ao ver o mais lindo crepúsculo,  o céu tomou uma cor dum tom indecifrável, invadindo a tarde e olhei o mundo ao meu redor com o rosto em direção do céu e por onde os meus olhos percorreram havia a mistura da mesma cor, mas, a quase vermelhidão, puxado para o tom alaranjado de  intensa e vibrante cor, não consegui descrever, olhando, pensei tantas coisas maravilhosas, só pude num suspiro intenso, refletir sobre tantas coisas, enchi os meus olhos de lágrimas, emocionada com aquela beleza marcante de uma tarde que foi um grande presente para a minha alma, esqueci do eclipse, (?) esqueci de procurar pela lua, era somente sol a minha alma. Agora à noite eu vi a lua por entre nuvens branquinhas, como se tivessem retirado suas vestimentas douradas, causadas pelo sol, estavam ali brincando de esconder a lua, ora as encobria, ora se afastavam para me mostrar tanta beleza duma lua limpa, brilhante, como é maravilhoso viver e poder enxergar, posso ainda aqui, antes de dormir fechar um pouco os meus olhos e tudo se repetir a paisagem do céu, sem eu me cansar, com certeza, hoje terei lindos sonhos. Não, eu nem quis o instante fotografar, a melhor fotografia, a alma só quer por dentro registrar.

Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 27/07/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras