Liduina do Nascimento

....Na solidão das palavras

Textos






Voando sem asas




Passaria horas e horas falando de crepúsculos,
Dos dias de chuva molhando minhas lágrimas.
Dum Arco-íris...
Das libélulas voando, se divertindo.
Falaria das noites sem estrelas,
Repletas de vagalumes, falaria de solidão...
Não da minha, eu gosto de ser só.
Passaria horas e horas, escrevendo poesia,
Falando do encanto das borboletas,
dos pássaros,
Que foram feitos para me alegrar!
Diria do que sinto ao ver os tapetes de folhas secas
No encanto do meu caminho,
Das folhas sem asas, mas, que voam para lá
E para cá...
Falaria dos meus olhos, deslumbrados,
com a agilidade, brilho, cor
e da sede do beija-flor, ah falaria,
Dos meus ouvidos atentos às águas dos rios,
Vez em quando eu retornava à minha alma,
Sentiria a voz insistente do meu coração de amor,
Voltaria os meus olhos para as borboletas
e outra vez os pássaros, que amo.
Despertando voos e encantos sem fim.
Falaria de saudade, e segredos,
Dum sonho feito fonte que escorre dentro de mim.


Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 04/08/2018
Alterado em 07/08/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras