Liduina do Nascimento
Todo mundo é capaz de dominar uma dor, exceto quem a sente ._ William Shakespeare
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda





Poesia ventania





Estou voltando do infinito para um mundo comum.
Deixei por lá tantos pedaços de mim,
Partes que não quero nunca mais ajuntar.
Deixei ir algumas ilusões, que com afinco me apeguei,
Dessas relutantes, acostumadas comigo,
Quase não me deixaram vir.
                           Voltei,
           Sim, voltei de vez, para o meu mundo comum,
           Soltei alguns desejos pro vento assoprar,
           Sei, tudo o que deixei de nada adiantou...
           Palavras, sorrisos, sonhos, amor.
Agora sou só um passado que até aqui chegou,
Sou uma espécie de poesia ventania,
que a si mesma vai pelo mundo à fora
varrendo a tristeza, buscando um pouco de alegria
do que em sua vida restou.
Atualmente estou construindo um mundo novo,
Nele quero somente boas paisagens,
Sonhos lindos para que eu saia deste deserto,
Quero a vida real e não miragens.

Liduina do Nascimento.









.
 
 

 
Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 16/06/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.