CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
LinksLinks
Um jeito simples de poesia
Liduina do Nascimento
Textos




Mar de desilusão



Esquecer que juntos fomos árvores,
Fomos meninos, fomos loucos...
Fomos,
por longas estradas
Sem olharmos pelo retrovisor,
Éramos um futuro cheirando a relva!
Fomos, confidentes dum amor desejado!
Esquecer?
Que um dia pensamos juntos,
que ouvimos a mesma melodia,
que lamentamos perdas,
Choramos juntos, enxugastes meu pranto,
Que nos consolamos olhando juntos a lua cheia!.
Desilusão.
Outro dia fui mar,
te fiz ouvir e banhar-se em minhas ondas,
ouvistes o barulho suave das conchas colhidas
sob as mesmas pegadas na praia.
Hoje que sou um riacho de águas,
dum doce enjoativo amor transparente,
Já não queres molhar os teus pés,
nem as tuas mãos que tanto desejo ainda.
O teu olhar já não me enxerga.
Ao som estridente do meu amor, tapastes teus ouvidos.
Sendo a mesma distância de outrora
quando o teu querer atravessava o tempo.
Da minha ' alma, nada mais queres,
Sequer tens piedade da dor que hoje é gemido.
 
Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 05/08/2017
Alterado em 05/08/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.