CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Liduina do Nascimento
Poesias
Textos




 


Intransponível






                         Ouço lá fora o murmúrio do mar...
E por quantas e quantas noites me deixo invadir por suas águas que sempre lavam e aos poucos vão secando as minhas lágrimas.
_ É que para a alma que insiste em sobreviver, há sempre tempo de recomeçar.

                          Daquele tempo...
Gostaria de saber se eu seria a única exagerada no amor, naquele lugar que um dia existiu, onde havia tantas pontes, tanta vontade de tocar loucamente
o mais doce impossível colorido horizonte.
A perda dum amor nos deixa muito triste, onde se forma um abismo intransponível, olhamos a vida nos chamando do outro lado sem podermos ir, e assim seguimos para sempre tristes, vivendo por viver.

                          É assim num mundo paralelo.
Feito aranhas, seguimos a lei da vida, tecemos frágeis sonhos que com um sopro se quebram e nos lançam à triste vida que cumpre o seu destino,
que foi ter amado profundamente, para no fim o seu amor morrer,
sem razão, emudecido, hoje tudo se fechou como um tempo nublado, daqui
não vejo mais nítido o meu sol, restos de nuvens apressadas passam passam
sigo suas sombras buscando abrigo, em vão.



 _  Liduina do Nascimento  
Enviado por Liduina Nascimento em 17/01/2018
Alterado em 20/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.