Liduina do Nascimento

....Na solidão das palavras

Textos

            




                      Mais um pouco


 

O que eu via, não sei bem, talvez visse o que a minha alma
quisesse esquecer, mas,
cada vez que eu olhava, era como se algo mais forte
que o meu orgulho há muito esquecido,
perdesse a chance de um dia sobreviver.

Compreenda, não é por querer olhar, até me arrependo, mas,
nasce intensa a vontade de ficar assim,
perdida sem dizer uma palavra, desejando você e pensando,
pensando.
Estive ausente por algum tempo, ausente até de mim.

Ontem à noite, (longa noite) tive muitos sonhos entrecortados,
esquisito, com jeito de realidade, talvez por isto
acordei reflexiva e decidida a não desperdiçar tanto a vida.
Numa dessas minhas decisões, você aparece em minha mente
o tempo todo, assim como se eu estivesse em falta com você,
Sinto remorsos por não ter tido a doce oportunidade
de abraçar você por um instante, quando fingia que me queria,
e olhar você assim, me mortifica, mas, preciso,
É uma forma da minha alma sentir de volta alegria, sem ter.
O que será que eu vejo sem poder nada dizer,
Ainda não sei, mas, espera, só mais um pouco, deixa,
Não me tire daqui, deixa eu olhar, e sentir essa falta danada
sua, porque eu sou completamente alucinada por você.

Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 28/07/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras